O assunto sustentabilidade tem se tornado comum, isso porque a população tem observado que se a preocupação com o meio ambiente e seus recursos naturais não for verdadeira daqui alguns anos os seres humanos, e o planeta, pagarão por esse erro. Este projeto têm como objetivo fazer com que a sustentabilidade ambiental se torne algo típico na vida das pessoas, transformando situações e lugares em ambientes onde o desperdício não é tolerado, e apenas o necessário seja usado, um exemplo disso são projetos de parques sustentáveis.
Sabemos que, atualmente, o turismo é um dos segmentos econômicos que mais cresce no mundo, inclusive no Brasil, que possui tantos atrativos naturais e culturais. Por outro lado, apesar de ter a possibilidade de ser um segmento de crescimento “limpo” e sustentável, requer planejamento e estruturação orientados para a inserção da comunidade local nas atividades e pelos princípios de preservação ambiental e valorização da cultura local.
O principal objetivo deste projeto consiste em promover a inclusão social com geração de trabalho e renda na cadeia produtiva do turismo, a partir da implementação de ações com foco na melhoria das condições socioeconômicas das comunidades locais por meio da qualificação dos produtos e serviços turísticos e da produção associada ao turismo.
Nossa região é muito rica, em monumentos naturais, aos quais existe a possibilidade de os transformar em produtos lucrativos para seus habitantes. Não podemos doar nossas riquezas aos turistas e vistantes! Quando nossa comunidade, carece muito de emprego e renda.
Turismo não é filantropia! Turismo é para ser explorado e não explorar o turista! Falha na acessibilidade, tambem pode ser visto, como uma prática de exploração.
É imperioso, passarmos a ver, que produto turistico tem de ter um agregado de valores, para assim, podermos cobrar pelos serviços prestados e a população aumentar sua renda per capita.
No projeto apresentado, o visitante ao fazer a visitação a um dos ícones de nossa região, lhe será apresentado alguns atrativos que irá fazer sua visitação à nossa região ser mais duradoura. Ganhará em conhecimento e tambem, irá usufruir das mais lindas e deslumbrantes paisagens do centro oeste.
Neste projeto para o Parque Estadual da Serra Azul o turista ou visitante, irá deixar seus veiculos na entrada do Discoporto (àrea da antiga pista de motocross) em um estacionamento regulamentado e com serviço de segurança. A partir daí, será apresentado as diversas forma de locomoção (trenzinho eletrico, bicicleta, cavalos, etc…), que podem ajudar na realização da sua visita, até ao platô do Cristo, passando em diversas Estações Temáticas, sempre acompanhados por guias locais especializados, que darão todas as informações, sobre a fauna, flora, história e cultura da nossa região.
No receptivo do parque, próximo ao estacionamento será erguido um Museu/Centro de Convenções (A) que possuirá, espaço para exposições, museu, sala de cinema 4D, sala para convenções, planetário, espaço lúdico para crianças, etc….
Em espaço aberto, também será construido um playground e um anfiteatro, bem como, diversas trilhas para caminhada e mirantes para comtemplação.
Alguns questionamentos foram levantados, em relação à acessibilidade do parque, entre os quais o asfaltamento da estrada que vai do Discoporto até ao platô do Cristo. Todos sabemos, que nesse trajeto, existem locais muito íngremes e de dificil transição, que dificultam a acessibilidade ao platô do Cristo, assim foi de consenso a criação de um pavimento ecologico, capaz de suportar a circulação de veiculos leves (ex. trenzinho eletrico), no restante trecho, manterá as carateristicas atuais com a manutenção necessária.
Neste projeto, se teve o cuidado de não facilitar a entrada de veiculos até ao platô do Cristo, devido a diversas causas, uma delas, o impacto criado na estrada e o alto custo de sua manutenção. No quesito de preservação ambiental, o atropelamento de animais silvestres e a mudança do seu habitat natural, prejudicam suas rotas de alimentação, acasalamento e fuga.
Mas ainda tem mais! Será uma grande perda para a economia local! Porque o turista ou visitante, com a facilidade de transitar em asfalto, ele vai entrar no parque, efetuar a visitação em 15 ou 20 minutos e sairá do parque, sem que tenha contribuido para o enriquecimento da nossa população. E no mais,  sem ter conhecimento algum de nossa cultura, como tambem sobre a fauna e flora da região. E sendo possível ainda, nos brindar com o descarte de seu lixo, (como era, até à bem pouco tempo atrás) que muitas das vezes, jogado no chão, prejudicando a beleza do nosso parque.

 

 

ATENÇÃO: O PROJETO TOTAL, AINDA NÃO FOI FINALIZADO