Educar e Sensibilizar para a Sustentabilidade, Meio Ambiente, Cultura e Turismo

Missão técnica à cidade de Bonito no Mato Grosso do Sul, entre os dias 25 e 28 de maio. A Visita foi organizada pelo “Araguaia Convention & Visitors Bureau” em parceria com o Deputado Estadual Adalto de Freitas (Daltinho), a “Comissão de Turismo da Câmara de Vereadores de Barra do Garças” e empresários da região.

Nesta Missão, estiveram representados diversas instituições tais como Prefeitura de Barra do Garças, Prefeitura de Aragarças/GO, Prefeitura de Pontal do Araguaia, Câmara Municipal de General Carneiro, SEMAMT, IFMT, UFMT, UNIVAR, SEDUC, Faculdades Cathedral, UNOPAR, INCRA, OAB, CDL, Assentamento Serra Verde, CVC – Loja Barra do Garças, Rotary Barra do Garças, Roncador Expedições, Fazenda Paraná, Fazenda Carajás, Fazenda Sol Vermelho, Cachoeira Cristal, Valearte, CHÁCARA DO SOSSEGO, FAZENDA ESTÂNCIA PIONEIRA, CELVA – ONG, CASA RONCADOR, EMPRESA DIGITAL CONTABILIDADE, FAZENDA PRAIA RICA, Assembléia Legislativa, entre outras representações.

Tivemos a oportunidade de assistir quatro palestras que foram fundamentais para construção de nossas ações e metas, no tocante a revolucionar o Turismo em nossa região. A primeira palestra no dia 25, foi ministrada pelo Sr. Antonio Carlos Silveira (Tó) criador do sistema de “VOUCHER ÚNICO” em Bonito.

A segunda, foi conduzida pelo prefeito municipal de Bonito, Odilson Soares e seus Secretários de Turismo Augusto Barbosa Mariano, diretor de Turismo, Marcelo Gil da Silva e do Setor de Tributação da Prefeitura Municipal de Bonito, representando o secretário Hallem Jaser a Gestora do ISSQN, senhora Silvia Schmidt que nos explicaram o funcionamento e legislação do turismo local.

Na terceira teve como palestrantes o Presidente do FUMTUR e COMTUR local sr. Cícero Ramos Peralta e na quarta o guia Julio Cesar Gauna Machado da Associação de Guias de Turismo de Bonito.

Visitamos seis “Produtos Turísticos” da cidade, sendo cinco particulares e um público e nos foram apresentadas as características de implantação e manutenção destes. Tivemos conhecimento que 60 por cento do PIB do município é gerado pela indústria do turismo e que na cidade recebem 300 mil turistas por ano. Conhecemos leis e normas que impulsionaram o turístico de Bonito e vamos copiar e implantar aos poucos em nossa cidade.

Entendemos que nossa realidade é diferente daquela cidade que é sucesso mundial em Turismo, mas que essa diferença é nosso grande trunfo. Já temos muitas infra-estruturas prontas e precisamos fomentar outras, foi consenso entre os 54 membros da Missão que temos no minimo, o dobro de atrativos a serem organizados e explorados de maneira sustentável. Mãos a obra, com união e determinação, vontade, correção e transparência dentro de poucos anos seremos também referência mundial em Turismo sustentável.

Locais visitados:

Cachoeiras da Bodoquena – é consolidado como destino de natureza nos segmentos de ecoturismo e aventura. Lugar ideal para quem busca sintonia com a natureza.

Rio Sucuri – (na Fazenda São Geraldo) As águas cristalinas de Bonito proporcionam experiência inesquecível de flutuação com snorkel nos rios e contemplação dos peixes e belezas subaquáticas,  onde você pode observar uma rica fauna e flora, sob águas de tons esverdeados e azulados.
Praia da Figueira – Uma série de atrativos compõe o complexo da Praia da Figueira, além da própria praia de lago, equipada com quiosques e bar da praia. Biribol, tirolesa, pedalinho, vôlei de praia, caiaque, quadriciclo, flutuação com snorkel, passeios de bicicleta e outras atividades estão à disposição.
Balneário do Sol – a mata nativa abriga macacos, araras, entre outros animais silvestres. O que chama a atenção são as águas cristalinas do Rio Formoso, onde turistas se refrescam.
Gruta do Lago Azul – A 20 quilômetros do centro de Bonito, um dos passeios mais procurados da cidade é a visita a esse lago de incríveis águas azuladas, com mais de 80 metros de profundidade, onde não é permitido nadar. Na área da gruta você observa formações rochosas belíssimas, enquanto percorre uma longa escada para se aproximar do lago.
Porto da Ilha  – você tem uma série de atividades de lazer, como boia-cross, passeios a cavalo, mergulho scuba, mountain bike, stand-up paddle e flutuação com snorkel e rafting no Rio Formoso.

VÍDEOS

 RELATÓRIO (INFORMAL) DA VIAGEM TÉCNICA A BONITO-MS

Barra do Graças, 31 de maio de 2017. Ao Araguaia Convention

  1 APRESENTAÇÃO Este documento consiste em um Relatório informal sobre a viagem promovida pelo grupo Araguaia Convention ao município de Bonito, ocorrida no período de 24 a 28/05/2017. Esta viagem foi de cunho técnico e teve como finalidade conhecer o método de gestão do turismo no município implantado, uma vez que o mesmo é referência no mundo. A viagem reuniu representantes do o poder público como, empresários, proprietários de possíveis atrativos do ecoturismo, professores e técnicos profissionais de diversas áreas do conhecimento. Este Relatório tem o objetivo de apresentar considerações individuais sobre esta viagem. 2 PONTOS FORTES IDENTIFICADOS 2.1 VOUCHER ÚNICO: Sem dúvida alguma o sistema de Voucher único é um método considerado eficiente, pois o mesmo permite:

  • Controlar o número de visitantes nos atrativos, o que é imprescindível para não ultrapassar a capacidade de carga do local e controle de visitantes;
  • Divisão da porcentagem do valor do passeio, pois garante a parte de todos os envolvidos, como também, o recolhimento do imposto;
  • Proporciona dados reais, importante para levantamentos estatísticos, monitoramento das visitas de cada atrativo, como também, fornece subsídios para tomadas de decisões e angariamentos de fundos.

2.2 CAPACITAÇÃO E EDUCAÇÃO Referente a esta questão, é notório o investimento na capacitação das pessoas que trabalham na área dos serviços que envolvem o turismo. O curso técnico de guia com duração de dois anos é imprescindível para a qualidade do passeio. Também considerou-se importante a criação da cultura do turismo e conservação do ambiente desde a escola. Assim, as principais vantagens de se investir na criação desta cultura são:

  • Formação específica dos guias para cada atrativo (ex.: espeleologia para passeio em cavernas; mateiro para trilhas, etc.);
  • Controle da qualidade do guia e passeio;
  • Promoção do atendimento de qualidade de todo o trade turístico;
  • Criação de uma ‘consciência’ de conservação do ambiente e do turismo como economia significativa para o município na sociedade através da educação e sensibilização da comunidade.

2.3 Preço único oferecido pelas agências O preço único oferecido pelo atrativo é uma medida importante a ser adotada logo no inicio do processo. Esta medida permitirá:

  • Gerar competitividade pela qualidade do serviço oferecido;
  • Impede o “leilão” pelo valor dos serviços.

2.4 Licenciamento ambiental dos atrativos O licenciamento ambiental é um instrumento de gestão ambiental adequada e dentro da legalidade para exercer uma atividade que pode causar algum impacto. É uma ferramenta a favor do proprietário. Este instrumento permite:

  • Promover o conhecimento adequado do ambiente, com fundamentação técnico-científica;
  • Realizar o estudo do impacto ambiental e cultural do atrativo;
  • Realizar o cálculo do suporte de visitação (capacidade de carga);
  • Estabelecer locais adequados para criação e abertura de trilhas;
  • Promover a segmentação do turismo;
  • Definir os locais estratégicos para visitação e paradas baseado no diagnóstico realizado.
  • Trabalhar na legalidade da atividade.

2.5 SEGURO E SISTEMA DE SEGURANÇA Imprescindível adoção de sistemas de segurança no planejamento de todos os atrativos consolidados. A questão do seguro também deve ser obrigatória para que ambas as partes (visitante e receptivo) sejam resguardadas. 2.6 SEGMENTAÇÃO DO TURISMO A segmentação do turismo consiste em identificar quais tipos de turismo é possível ser implantado na região. Ao identificar as diversas modalidades do turismo é possível:

  • Conhecer melhor o público alvo;
  • Planejar as ações de infraestrutura adequada a cada tipo de modalidade;
  • Investimentos em marketing adequado;

3 AÇÕES SUGERIDAS Diante do contexto o qual se encontra o grupo, acredita-se ser necessário organizar as próximas discussões e futuras ações. A seguir algumas sugestões:

  • Organizar o Grupo Convention através da criação de comissões técnicas. Estas comissões podem discutir assuntos ligados a sua área de conhecimento e trazer para o Convention problemas e soluções já discutidos dentro da comissão, otimizando tempo e discussão, o que faria das reuniões mais eficientes e direcionadas. Estas comissões podem ser, por exemplo:
  • Comissão de assuntos jurídicos
  • Comissão de comunicação e marketing
  • Comissão educação e sensibilização (existe esta ação, mas uma comissão específica pode tocar estes projetos)
  • Comissão voltada para estudos econômicos e financeiros;
  • Comissão meio ambiente / turismo / pesquisa
  • Outras…
  • Definir funções das comissões e encaminhar demandas específicas, podendo começar com o conteúdo da audiência pública;
  • Planejar a audiência pública (verificar informações que serão apresentadas, elencar o melhor método de condução da reunião, etc);
  • Agendamento do diagnóstico nos atrativos, pensando na segmentação do turismo;
  • Incluir o Turismo Especial no planejamento de alguns atrativos (acesso e estrutura para cegos, cadeirantes, etc).
  • Apresentar procedimento (passo a passo) de como começar a desenvolver a atividade a partir do que se tem, bem como, o planejamento das próximas etapas;
  • Desmistificar a questão do licenciamento ambiental através de uma pequena palestra, apresentando o procedimento;
  • Pensar em métodos de incentivo para propostas no seguimento de serviços, com objetivo de implantarem a capacitação e reformas físicas, como, por exemplo, (ver com o jurídico) a possibilidade de alguma porcentagem das multas (ou algum imposto) do município ser revertida para um fundo de investimentos na área de infraestrutura local que atenda o turismo, parcerias público-privado, Sebrae, etc.
  • Pensar em programas que incentive o morador local e nativo a ser empreendedor e não apenas ocupar cargos operacionais como garçons e camareiras, por exemplo;
  • Pensar em política de acesso ao morador local nos atrativos e turismo social;
  • Criar um calendário de reuniões e ações do Convention no mínimo até o fim do ano;
  • Conversar com as associações que podem fazer parte do trade para se organizarem e se fortalecerem.

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS Convicta de que esta viagem proporcionou uma vivência que sensibilizou todos os participantes de como pode ser a prática do ecoturismo e todo contexto que o envolve. Importante para o conhecimento e nivelamento da compreensão entre as diversas atuações do trade turístico que estavam presente. Relevante para o entendimento de como pode ser positivo para a economia local a implantação deste seguimento, de modo planejado, na região. Conforme já colocado em reunião (no ônibus no caminho de volta), coloco-me a disposição para realizar o Diagnóstico Simplificado a fim de identificar as potencialidades e fraquezas de cada possível atrativo. Espero que cada vez mais o Grupo se fortaleça, cresça e se desenvolva como uma referência no turismo. Assim, juntamente com a equipe a qual desenvolvemos trabalhos na área de Meio Ambiente, Turismo e Sustentabilidade, colocamo-nos a disposição, será uma satisfação contribuir para o desenvolvimento de Barra do Graças e região.

 

Eng. Florestal Fabiola Dalla Vechia Ativa Consultoria Ambiental – meio ambiente, turismo e sustentabilidade Segue uma ideia dos serviços a que prestamos a fim de apresentar a área que podemos atuar e contribuir para o Grupo e para o desenvolvimento da região. Trabalhos na área de estudos e diagnósticos ambientais (área que realizo mestrado na UFMT-Cuiabá). Estudos socioeconômicos, modelos de produção em sistemas agroflorestais (na equipe temos doutora na área), direito ambiental (a qual sou especialista).

Na área de turismo possuo Curso Técnico em Turismo (3º turma a formar no Estado) e experiência comprovada a mais de 15 anos em consultoria e elaboração de roteiros Ecológicos e Histórico-Culturais. Realizamos, também, consultoria na área de Sustentabilidade, como por exemplo, a questão de Inventários de Gases de Efeito Estufa (GEE) e Compensação da emissão destes gases. Para tal realizei na Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a Norma ISO 14065 – Inventário de Compensação de GEE. Implantamos também

APOIOS

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA MT

DEPUTADO ESTADUAL MT – ADALTO FREITAS

CHURRASCARIA O PANELÃO

ESPLANADA HOTEL

POUSADA ÁGUAS QUENTES

DU CARMOS CABELEIREIRO

CONTISA CONTABILIDADE

RECICLA VIDA

CDL

EDUARDO MOURA PRESIDENTE DA AGER MT

CVC LOJA BARRA DO GARÇAS

SÍTIO VALE DO SOSSEGO

Compartilhar: